Investir em Ouro


Por que investir em ouro físico?


O ouro como investimento

O ouro é respeitado em todo o mundo por seu valor e rica história, que se entrelaça com várias culturas ao longo de milhares de anos. Moedas contendo ouro apareceram por volta de 800 aC, e as primeiras moedas de ouro puro surgiram durante o reinado do rei Creso, da Lídia, cerca de 300 anos mais tarde. Ao longo dos séculos, as pessoas continuaram a adquirir e manter reservas de ouro por várias razões. Abaixo estão oito razões para investir em ouro hoje.

Segurança histórica

Ao contrário de papel-moeda, moedas ou outros bens, o ouro tem mantido o seu valor ao longo dos tempos. As pessoas veem o ouro como uma forma de transmitir e preservar a sua riqueza de uma geração para a seguinte.



Fragilidade das moedas governamentais

Embora o dólar norte-americano, por exemplo, seja uma das moedas mais importantes do mundo, quando o valor do dólar cai contra outras moedas, como ocorreu entre 1998 e 2008, isso muitas vezes leva os investidores a migrar para a segurança do ouro, o que eleva os preços do metal.

Inflação

O ouro tem sido historicamente uma excelente proteção contra a inflação, porque o seu preço tende a subir quando o custo de vida aumenta. Desde a Segunda Guerra Mundial, os cinco anos em que a inflação dos Estados Unidos estava em seu mais alto foram 1946, 1974, 1975, 1979 e 1980. Durante esses períodos, o retorno real médio dos investimentos no Dow Jones Industrial Average foi -12,33%, em comparação com 130,4% para o ouro.

Deflação

Deflação, um período em que os preços diminuem, a atividade de negócios diminui e a economia está sobrecarregada por dívidas excessivas, não tem sido vista em todo o mundo desde a Grande Depressão da década de 1930. Durante esse tempo, o poder de compra relativo do ouro subiu, enquanto outros preços caíram acentuadamente.


A incerteza geopolítica

O ouro conserva o seu valor não só em tempos de incerteza financeira, mas em tempos de incerteza geopolítica também. É muitas vezes chamado de "commodity da crise", porque as pessoas fogem para sua relativa segurança quando as tensões mundiais sobem; durante esses tempos, muitas vezes supera outros investimentos. Por exemplo, os preços do ouro tiveram alguns grandes movimentos de valorização em 2015, em resposta à crise que ocorreu na União Europeia. Seu preço tende a subir mais quando a confiança nos governos é baixa.

Restrições de fornecimento

Grande parte da oferta de ouro no mercado desde a década de 1990 veio de vendas de lingotes de ouro dos cofres dos bancos centrais mundiais. Esta venda pelos bancos centrais globais desacelerou significativamente em 2008. Ao mesmo tempo, a produção de novo ouro das minas vem diminuindo desde o ano 2000. De acordo com bullionvault.com, a produção anual de mineração de ouro caiu de 2.573 toneladas em 2000 para 2.444 toneladas em 2007. Como regra geral, a redução da oferta de ouro sempre eleva seu preço nos mercados.

A demanda crescente

O crescimento das economias dos mercado emergentes impulsionou a demanda por ouro. A Índia, por exemplo, está entre os países com maior demanda por ouro atualmente. Na China, uma das economias que lideram o ranking mundial de crescimento, barras de ouro são uma forma tradicional de poupança, tornando a demanda por ouro em franca ascensão.

A demanda por ouro também tem crescido entre os investidores por todo o mundo. Muitos estão começando a ver commodities, especialmente ouro, como uma classe de investimento de maior relevância.

Diversificação de portfólio

A chave para a diversificação é encontrar investimentos que não estão estreitamente correlacionados. O ouro historicamente tem uma correlação negativa com ações e outros capitais.

A história recente confirma isso:

A década de 1970 foi ótima para o ouro, mas terrível para as ações. O ano de 2008 viu o mercado de ações cair substancialmente, enquanto os consumidores novamente migraram para o ouro. Os mais bem sucedidos investidores foram os que distribuíram suas riquezas entre ouro, ações e títulos numa carteira capaz reduzir a volatilidade global e o risco.